segunda-feira, 3 de maio de 2010

Maratona de São Paulo - Eu Fui!

E eu fui!

No sábado dormimos tarde pois teve apresentação do Mulher (agora vamos apresentar todo o segundo sábado do mês as 20h30 no teatro Grande Otelo).

Fomos pra casa, comemos macarrão (carbo!) e capotamos! Acordamos cedinho, separa kit, pega gel, sal, banana, lanche... todo o kit de sobrevivência.

E lá vamos nós.

Ibirapuera lotado! Estacionamento no Ícaro, R$ 25,00 um absurdo! Flanelinhas na rua cobrando 10,00 adiantado! Deixamos só $5!

O noivo, pegou o ônibus e foi para a largada, eu combinei com a Erica, de encontra-la nas Tendas.

Esperamos a largada e começamos nosso percurso próprio de AMM (Apoio ao Marido Maratonista)

Primeiro encontro: km 7, gritos de apoio, verificando se está tudo bem.

Segundo encontro: km 23, Gatorade na mão esperando o Marido passar, e nada... Ainda bem que minha amiga, Walkiria viu e deu uma força, o Marido passou e eu nem vi... bebi o Gatorade rs

Terceiro encontro: km 33, ai já era! A cara era de cansado, me deu a viseira, pediu pra eu torcer a camiseta dele, já estava sem lanche, sem fruta... muito ruim, mas ai faltava apenas 9km. Mais um grito de apoio, e lá foi ele.

No km 36 tinha fruta, melancia, mexirica, laranja, foi o que salvou os corredores.

Encontramos o Lemes (Marido da Erica) apoio, saber se está vivo, contamos os dedos, tudo no lugar! Ok.

Fizemos o percurso de volta para encontrar o Di. Ele terminou em 4h29.

A prova tem muitos problemas, o principal é largar seguindo o horário da Globo. Ou seja as 9h da manhã. Quando a galera está chegando nos 25km já é mais 11h o sol está torrando. Quem vai continuar nos 42km sofre mais ainda.

A prova é muito bonita, o percurso não é nada diferente do que a gente já está cansado de correr.
A estrutura deixa a desejar. Os atletas que sofrem mais, que ficam lá no fundo já não encontram mais postos com água, e se encontram, dá pra fazer chá.

O que salva são os voluntários que distribuem frutas, água e tal...

Como eu e a Erica fizemos o percurso ao contário, vimos MUITAS pessoas passando mal e em muitos pontos sem NINGUÉM da organização. Os próprios corredores e voluntários que socorrem.

Mas mesmo assim, com esses problemas, NADA é mais emocionante do que ver a linha de chegada, as pessoas superando limites.

Eu, não consigo correr quando o Diego está fazendo essas loucuras rs... Vamos combinar que 42km é loucura, minha gente.

O Jeito foi correr estratégicamente para encontra-lo.

Parabéns Di! Você pode tudo! SEMPRE!

4 comentários:

Eduardo Acacio disse...

Parabéns essa foi dura demais da conta ... se não bastasse o sol ... a desorganização ferrou GERAL ... nas duas últimas corri com 9 e 13 graus e nessa no final estavamos com 28 graus ... Mas conseguimos !!!

Sucesso Sempre !!!

Diego Ciarrocchi disse...

Menina mais linda! Já já tá correndo uma maratona e nem percebeu...

Mayumi disse...

Fala, Mariana! Não conseguimos nos encontrar, mas eu estava lá, até os 25 km! Rsrs. Eu disse para os que iriam correr a maratona que iria ultrapassá-los a 60 km/h... de ônibus! mas, quando cheguei na tenda, já tinham chegado pelo menos uns 3! Nem deônibus, consigo alcançã-los! Rsrs. Parabéns ao Diego e a vcs pelo apoio naquele sol de rachar!

tutta disse...

Sei que encarar 42km não é fácil, ainda mais com largada tarde como é a Maratona de São Paulo.
Fiz minha estréia na distância aí, e apesar de todas as dificuldades eu gostei. Mas há muitas falhas por parte da organização concerteza.
Por isso parabenizo seu marido, pela excelente prova feita por ele.
Abraço.


tutta³³
www.correndocorridas.blogspot.com